musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - VéU DA NOITE - FLORA MATOS - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Véu da Noite letra


"Cai o véu, noite vem...
Lua cheia que não acalanta ninguém."

[Flora Matos]
Na matina eu acordei, fui na janela, olhei
Tava tudo normal, movimentado e sem lei
Foi quando olhei pro tênis, resolvi calçar, calcei
Desci o morro atrás de algo que ainda não sei

Fone no ouvido, ouço um beat bem produzido
O meu rádio toca, quem me chama é um amigo
Dizendo "Hoje tem free, Comando Selva tá vivo
te encontro no Arará, câmbio, desligo"

Desço as escadas, escadaria não acaba
Lá em BBG é nóis, minha dota é minha quebrada
Todo mundo acordado, mais tarde vai tá moiado
Hoje eu vou lá pro sanduba me rodear de chegado

Paro no ponto, aguardo pelo baú
Sentido Avenida Brasil, saindo da Zona Sul
Noite escura se abriu, eu to voltando pá tu
Escuto vários "psiu", mas mando...

(Xiiii), não vale a pena dizer
É palavra feia se eu me dirijo a você
Caderno na mochila, rima na ponta da língua
Pra não ter que pegar fila, desenrolo e disciplina

Tudo em cima, cheia de matéria-prima
Sou gente fina, mas de acordo com o clima
Tudo muda quando ele que me intima
Quando quer me apreciar e fazer noite de rima

O véu...

[Fator]
E é desse jeito que eu encontro verso, de pensamento disperso
Num submundo submerso, num clima sombrio, complexo de pouco nexo
De muito sexo, de muito ação e pouca sorte
Copos de ousadia, fluídos de vida e morte

Ouço sirene que espalha o medo e esconde segredo
Penso "Momento tenso", entendo e lamento e penso
Não é só, muito mais pra mostrar, ela tem
Imparcial, não acalanta ninguém

Mãe da sedução, que atrai pela emoção
Pela vingança, pelo dinheiro e pela religião
E novos contos virão, de casos sem solução
Inspiração pra poesia e canção, a noite de São Paulo oferece um milhão

De rimas improsa, nas festas, nas tretas
nas mina gostosa, na cena suspeita
Pupilas dilatam, parceiros se matam
Carinhos maltratam, palavras relatam

Parábolas dessa cidade
Inspirariam as Fábolas de Sherazade
Enquanto isso eu fico tipo a Lua Cheia, lá do céu, só ganhando
Uma pá de cara novo de chapéu, se achando

Que tipo entra e sai, que pá, tem proceder
Só que eu sei que muita coisa que eu vejo, ninguém vê
Mistérios que a noite pra poucos revela
Mas quanto mais me cativa, mais esperto eu fico na dela

Liguei a mancha no tom, vermelho quase marrom
Na camisa do maluco, não sei se é sangue ou batom
Mas é a deixa pra mim, um sinal, namoral
Só quem tem o dom sente o momento crucial

Ligeiro eu to, demorô, pra mim já deu
Falou, falou, vou que vou pro mundo de Morfeu

[Flora Matos]

Em oposição ao Sol, Lua Cheia
Disco prateado, luz refletida clareia
Nasce às 6, se põe às 6, a toda volta rodeira
Influi na nossa vida, somos grãozinhos de areia

Raios incidem sobre o nosso satélite
E é só nessa lua que o eclipse acontece
Não me deixa dormir, que a vontade só cresce
Tema de tantas canções e por quê não de um rap?

Um fala, outro escura, uma pára, outro ocupa
A mãe se preocupa, um chora, outro luta
Pra si a vela assusta, e não pede desculpa
É a lua que escuta o chorar de uma puta

Alegria, prazer, sofrimento e poder
A noite tem de tudo, tem paz e tem trelelê
Ela é linda de ver e influi em você
Caiu o véu e vai saber o que pode acontecer

Momento tu não cone, artista se emociona
A BR ilumina quando não tem carona
Energia que brilha, rap baixinho clama
A luz do Sol pra Lua, da Lua pro olho da dona

Ele me telefona, diz que eu to bonitona
Me chama de negona, o brilho vem a tona
Vida redireciona, até que alguém me toma
Nos braços de quem até hoje me diz que me ama

Mas não fica na manha, várias meninas gama
Lá em Copacabana, lua cheia na zona
Ee se envergonha, vai pro bar cai na cama
Eu caio nos braços da noite, na noite insana

Aqui não acalanta, sou Flora e sou planta
Sou projeto de paz para uma guerra santa
E uso minha garganta, não perco as esperanças
KL JAY produz, é nóis que rima e Céu que canta

Flora Matos - Letras

©2003 - 2018 - musicas.mus.br